Seja bem vindo, amigo!

Seja bem-vindo, amigo! Seja você também mais um subversivo! Não se entregue e nem se integre às mentiras do governo e nem da mídia! Seja livre, siga o seu instinto de liberdade! Laissez faire! Amém!

Translate

sábado, 28 de julho de 2012

PDF - O LIVRO NEGRO DO COMUNISMO Crimes, terror e repressão

Comunismo: O maior assassinato em massa da história

Quando o regime comunista assumiu o poder na Rússia até mesmo os membros dos partidos socialistas de esquerda foram executados sumariamente ou presos nos campos de concentração. A maioria dos sem-terras e pequenos proprietários, conhecidos como Kulaks, tornaram-se escravos do regime, e aqueles  que não contribuíam com grande parte de sua produção agrícola, eram executados, presos, torturados, as suas esposas e filhas estupradas.  Anon, SSXXI

Quando o estado lhe der alguma coisa, tenha absoluta certeza que esta coisa irá lhe custar muitas outras coisas. Anon, SSXXI

Partes dos textos extraídas do livro Negro Do Comunismo:

Contudo, podemos estabelecer os números de um primeiro balanço que pretende ser somente uma aproximação mínima e que necessitaria ainda de uma maior precisão, mas que, de acordo com estimativas pessoais, dá uma dimensão da grandeza e permite sentir a gravidade do assunto:

- URSS, 20 milhões de mortos,
- China, 65 milhões de mortos,
- Vietnã, 1 milhão de mortos,
- Coreia do Norte, 2 milhões de mortos,
- Camboja, 2 milhões de mortos,
- Leste Europeu, 1 milhão de mortos,
- América Latina, 150.000 mortos,
- África, 1,7 milhão de mortos,
- Afeganistão, 1,5 milhão de mortos.

- Movimento comunista internacional e partidos comunistas fora do poder, uma dezena de milhões de mortos. O total se aproxima da faixa dos cem milhões de mortos. Essa escala de grandeza recobre situações de grande disparidade. É incontestável que, em valor relativo, o “trofeu” vai para o Camboja, onde Pol Pot, em três anos e meio, conseguiu matar da maneira mais atroz - a fome, a tortura - aproximadamente um quarto da população total do país. Entretanto, a experiência maoísta choca pela amplitude das massas atingidas. Quanto à Rússia leninista ou stalinista, ela dá calafrios por seu lado experimental, porém perfeitamente refletido, lógico, político.

7. Coletivização forçada e deskulakização

Como confirmam os arquivos hoje acessíveis, a coletivização forçada do campo foi uma verdadeira guerra declarada pelo Estado soviético contra toda uma nação de pequenos produtores. Mais de dois milhões de camponeses deportados, dos quais 1.800.000 apenas em 1930-1931, seis milhões mortos de fome, centenas de milhares mortos durante a deportação: esses números dão a medida da tragédia humana que foi o “grande assalto” contra os camponeses. Longe de limitar-se ao inverno de 1929-1930, essa guerra durou pelo menos até meados dos anos 30, culminando nos anos 1932-1933, marcados por uma fome terrível, deliberadamente provocada pelas autoridades para quebrar a resistência dos camponeses.

No campo, a mortalidade atinge o seu auge na primavera de 1933. O tifo se junta à fome; em burgos de vários milhares de habitantes, os sobreviventes não são mais do que algumas dezenas. Casos de canibalismo são assinalados tanto nos relatórios da GPU como naqueles dos diplomatas italianos lotados em Kharkov: “Em Kharkov, são recolhidos a cada noite cerca de 250 cadáveres de pessoas mortas de fome ou de tifo. Nota se que um número muito grande dentre eles não possuía mais fígado, que parecia ter sido extraído através de um grande corte. A polícia acabou encontrando alguns dos misteriosos 'amputadores', que confessaram que com essa carne eles preparavam o recheio dos pirojki [pequenos patês] que em seguida eram vendidos no mercado.”

Autores: Stéphane Courtois, Nicolas Werth, Jean-Louis Panné, Andrzej Paczkowski, Karel Bartosek, Jean-Louis Margolin

Saiba mais detalhes neste livro - click neste site e faça o download

[PDF] O Livro Negro Do Comunismo - Crimes Terror E Repressão

A maioria dos socialistas tenta justificar ou encobrir os crimes comunistas fazendo uma deturpada comparação com aquilo que eles chamam de “crimes capitalistas”. Porém, pessoas menos dotadas de conhecimento e não sabem nem mesmo o que é capitalismo, acabam acreditando e caindo no velho chavão comunista e, assim, a história se repete. Anon, SSXXI

Um comentário:

  1. Legal! Comprei o ORVIL e o Verdade Sufocada na Estante Virtual...

    ResponderExcluir

VISITE A BIBLIOTECA DO SUBVERSIVO DO SÉCULO XXI