Seja bem vindo, amigo!

Seja bem-vindo, amigo! Seja você também mais um subversivo! Não se entregue e nem se integre às mentiras do governo e nem da mídia! Seja livre, siga o seu instinto de liberdade! Laissez faire! Amém!

Translate

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

O subversivo e as drogas (o que ele acha?)

Por Anon,




10 Inacreditáveis propagandas de cocaína e outras drogas, clique na foto
Falando sobre drogas, primeiramente eu não faço uso e nunca fiz (já que hipocritamente a cervejinha não é considerada uma droga), não compro e nem vendo, ou seja, sou inseto, portanto não tenho nenhum vínculo, não dependo absolutamente deste tipo de comércio. Na minha visão conservadora individualmente sou contra, mas como libertário e ligado a ética do livre mercado sou a favor. O que o indivíduo faz com aquilo que adquire honestamente com o fruto do seu trabalho ou através de troca voluntária é inerente a ele somente. Ninguém e principalmente o Estado possuem o direito de interferir; ademais quando se espera uma suposta liberação do estado sobre qualquer assunto, pressupostamente, está-se delegando a ele um possível poder para restringir sobre outros assuntos. 


Agora, deveríamos rever melhor sobre o conceito de droga. O que seria droga? Seria algo que prejudica o individuo ou a sociedade? Droga é a erva que fica lá no mato e na dela ou é o cara que faz uso dela e não sabe se portar sob os seus efeitos? Drogas são as consuetudinárias ervas que curam os índios de graça ou os caros medicamentos das indústrias químico-farmacêuticas “supervisionadas” pelas vigilâncias sanitárias? O Estado estaria preocupado com a saúde do indivíduo ou com o exorbitante lucro das empresas? Tem alguém ingênuo aí? Imposto é a alma do negocio estatal ou mais uma droga aplicada coercivamente sobre o sorumbático e inerte individuo? São os empíricos boldos da Dona Maria ou o chá de hortelã da vovó, panacéia boa para quase todos os males? Para mim, que sou leigo e completamente desinteressado sobre esta questão, drogas naturais são apenas matos que já estiveram e ainda estão no planeta bem antes do Sopro Divino ter secado o barro e jogado a raça para viver e usufruir com “moderação” (chato ecologicamente correto) sobre todas as coisas. 


Por que as drogas são proibidas? Será que, se a maçã não fosse proibida Eva a teria oferecido a Adão? Por que eles foram expulsos do paraíso? Seria o sexo, a princípio, considerado uma droga pelo próprio criador ou o criador não queria ter futuros problemas com as tribos de Abel e Caim? A proibição é uma questão meramente psicológica inserida através dos tempos em nosso gene e contestá-la seria uma prova de nossa insofismável rebeldia sempre em busca de uma plena liberdade? Por que a maioria dos traficantes é contra a legalização da maconha? Seria por ser permitido e abundante a cannabis teria baixa utilidade marginal? Pô, estes caras manjam de economia! E, além disso, quem irá plantar, ou empacotar e transportar algo corriqueiramente disponível em qualquer praça? E mesmo se o fizer, terá de enfrentar uma concorrência implacável e arcar com os mais diversos impostos. Mas mesmo assim, quando a maconha for legalizada ela voltará a ser aquilo que ela sempre foi, isto é, apenas mato. 


Mas a minha pergunta crucial ou mais importante é: Por que as pessoas ultimamente estão consumindo ou fazendo o uso de tantos entorpecentes? Outras perguntas conseqüentemente derivadas da primeira: Por que as pessoas estão tentando fugir da realidade? O que esta causando Tanta ansiedade, síndromes, fobias e depressão na maioria das pessoas? Não seria o agigantamento do Estado com todos seus poderes por meios de uma legislação repressora e através de uma série de impostos? Não será este Estado intervencionista atual a mais prejudicial de todas as drogas da humanidade? Pois, o Estado é deprimente, as drogas são deprimentes! Mas a vida é bela! E estar consciente para lutar em prol da nossa liberdade, é a minha maior glória! Anon SSXXI 


É isto que eu penso sobre as drogas!

 Muitos tentam fugir da opressão fazendo o uso das drogas. Porém, o maior efeito colateral dos narcóticos é a dependência. Logo, para tentar fugir de uma cerca opressiva, os indivíduos acabam criando mais um muro intransponível para a sua vida. Anon SSXXI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

VISITE A BIBLIOTECA DO SUBVERSIVO DO SÉCULO XXI