Seja bem vindo, amigo!

Seja bem-vindo, amigo! Seja você também mais um subversivo! Não se entregue e nem se integre às mentiras do governo e nem da mídia! Seja livre, siga o seu instinto de liberdade! Laissez faire! Amém!

Translate

sábado, 30 de junho de 2012

A Lei subversiva: É proibido fazer mais lei

Por Anon,


Eu detesto proibir, eu detesto excesso de leis, principalmente aquelas preventivas (pré-crimes) ou aquelas ridículas como: Proibir o cidadão de fumar num bar ou em qualquer estabelecimento privado - o cidadão compra um cigarro num boteco e não pode fumar dentro do próprio boteco que lhe vendeu o cigarro. Numa analogia simples, isso é mais ou menos a mesma coisa que um freguês ao comprar a sua refeição num restaurante, e ao ser impossibilitado de comê-la dentro do recinto, teria que comê-la na rua. Porque, logicamente, ninguém vai num boteco há não ser para beber e fumar, quem não gosta não vai, ora! Além do mais, o dono ou responsável pelo estabelecimento é  o único que tem o direito de impor certas normas no seu comércio.

São estes tipos de leis ridículas que, somente, interferem na vida dos cidadãos comuns e que não auxiliam em nada para coibir o crescente número de crimes e criminosos, quase cinquenta mil mortes por ano, quase duzentos mil desaparecidos, fora os incontáveis e infindáveis casos de escândalos e corrupções. Ou seja, tudo isso dá a impressão de um bando de bandidos fazendo leis para os mocinhos, somente para criar uma nuvem de fumaça que encubra os seus crimes (deles); assim, enquanto (nós) os idiotas pagadores de impostos ficam preocupados, perdendo o seus tempos, em seguir as tais leizinhas.

Outra lei, digna de escárnio, é esta que proíbe o coitado do brasileiro de beber nos estádios de futebol. Esta lei preconceituosa mostra o tanto que o próprio estado nacional menospreza e desacredita o povo brasileiro, tratando-o como fosse um bárbaro, delinquente, inconsequente, baderneiro etc (julga e condena a todos por causa de uma minoria). Porém , quando houver a copa do mundo, esta lei será temporariamente suspensa, pois se isto não acontecer, a delicada torcida alemã e os educados hooligans ingleses não virão. Este é o nosso Brasil! Até as leis são feitas para inglês ver!

Agora, sem falar das leis heteróclitas, aquelas que têm a cara de pau de invadir a vida, a privacidade e o lar do cidadão, ou daquelas leis que vão contra os bons costumes, tipo: lei das palmadas, leis abortivas, leis de cotas, lei da homofobia, etc. Todas elas à beira da psicopatia megalomaníaca. O cidadão que é obrigado a votar, tenta escolher um candidato menos ruinzinho, para administrar a grande Nação. Após ser escolhido, em vez de administrar, o político vira um rei déspota prontinho par sacanear com o povinho e, juntamente, com seus coadjuvantes deputados disparam a criar leis para tudo quanto é lado e desgosto. Primordialmente, leis tributárias para a poderosa indústria das multas. Nada de mais, para sustentar os bolsistas e garantir os futuros votos, quanto mais grana melhor.  Isto sim é democracia! Democracia?

Mas, já que há tantas leis desnecessárias, com o principal motivo de cercear as liberdades individuais, o povo também deveria ter o direito de fazer leis para serem usadas contra o estado e todos os seus políticos usurpadores do erário público e da dignidade nacional (moral e ética). Como já disse, eu detesto proibir! Ma se eu fosse solicitado por alguma assembléia popular para criar alguma lei para o Estado, a princípio relutaria, porém, como pimenta na fuça dos outros não arde e a vingança é doce, eu aceitaria sem pestanejar!

LEIS SUBVERSIVAS PARA O ESTADO (He He!)

Art 1º Eu, representante do povo Brasileiro, reunido em assembleia popular para reinstituir a nossa liberdade que está sendo descaradamente subtraída paulatinamente pelo estado.  Declaro no único termo seguinte:

I - Parem de fazer qualquer tipo de lei (ridícula ou não) para o povo brasileiro. Doravante, as leis somente serão aprovadas por meio de plebiscito (voto popular); e, assim mesmo, cada vez que uma lei entrar em vigor, outra lei terá que sair do menu constitucional. Portanto, “nobres deputados” o importante não é o numero de leis, e sim a qualidade de cada uma delas. Mirem-se nos dez mandamentos e parem de fazer o papel de Deus. Apenas sigam o divino exemplo.  

Em suma, é proibido fazer mais lei. Anon, SSXXI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

VISITE A BIBLIOTECA DO SUBVERSIVO DO SÉCULO XXI