Seja bem vindo, amigo!

Seja bem-vindo, amigo! Seja você também mais um subversivo! Não se entregue e nem se integre às mentiras do governo e nem da mídia! Seja livre, siga o seu instinto de liberdade! Laissez faire! Amém!

Translate

quarta-feira, 27 de junho de 2012

O Brasileiro de mentalidade bolchevista?

Por Anon,


Quando eu tive o grande prazer de ler o livro Liberalismo segundo a tradição clássica de Ludwig von Mises um dos capítulos que mais me chamou a atenção foi  “A Rússia”, no qual o autor austríaco descreve a total passividade e aceitação do povo russo aos diversos tipos de regimes autoritários que assolaram o seu território (o despotismo, o imperialismo e o bolchevismo). Numa coerente suposição, Mises escreveu que: “A Rússia é muito mais ricamente dotada de solos férteis e de recursos minerais de todos os tipos do que os Estados Unidos. Se o povo russo tivesse buscado aplicar a mesma política capitalista dos americanos, seria hoje o povo mais rico do mundo”.

Porém, com uma mentalidade militarista construída e arraigada ao longo de séculos, os russos preferiram se entregar a um ideal do senhor hereditário que aos ideais burgueses. Preferiram pilhar a humanidade vizinha com a sua atávica política destrucionista a fazer parte de um esquema de cooperação social. Pegaram uma ideologia socialista emprestada da Europa e a implantaram, inconsequentemente, em seu país, massacrando os opositores num interminável banho de sangue. E pior, feita a desgraça bolchevista, ainda tentaram empurrá-la para outras nações desavisadas.

E não é que esta desgraça socialista acabou se atracando em nossas praias tupiniquins! Ao atravessar o oceano Atlântico, esta desgraça desbotou e perdeu a sua cor, mudou o seu modus operandi, mas não o seu objetivo ideológico; ou seja, escravizar sutilmente os susceptíveis.  Aqui, o tal sistemazinho teria consideráveis chances; contava com uma população pobre e semi-analfabeta em sua grande maioria, e ainda, como sempre, contava com uma camada de pseudo-intelectuais que babavam quando liam qualquer baboseira referente a Max; uns tinham até boas intenções, mas a maioria!
E o mais importante, contava com uma súcia que não gostava de trabalhar, nem de criar; e que para sobreviver, precisava usurpar o fruto do suor alheio.

Quem disse que o comunismo morreu?
Somente os ignorantes e os próprios comunistas podem afirmar com veemência esta questão. Os ignorantes afirmam porque são ignorantes, e os comunistas afirmam porque são espertos e não querem que os ignorantes descubram a nova forma de comunismo ao qual estamos sendo submetidos há muito tempo. Aquele velho comunismo que, coercivamente, monopolizava tudo e a todos (os meios de produção, desde os objetos de trabalho até os meios de trabalho, incluindo aqui o ser – humano, que não passava de uma ferramenta) está sub-repticiamente, sorrateiramente, mais vivo do que nunca!

Este novo fruto escravagista, como era de se esperar, nasceu da mente de um psicopata, dentro de uma masmorra italiana. Porém, nenhum sonho de um psicopata se torna realidade enquanto ele não for fundado por outros psicopatas e por oportunistas; e, principalmente, quando dão à loucura ares científicos e econômicos com seus gráficos mirabolantes e ascendentes. Quem é Keynes?  Escravizando as massas, meu caro! Qualquer “sistema econômico” dá certo!

Agora, com a “insofismável colaboração” dos pseudocientistas contemporâneos que, com seu cientificismo, tentam enaltecer e renovar a velha carcaça do comunismo como se fosse uma ciência exata; cientistas, estes, que fazem uso de fórmulas esdrúxulas criadas somente para acobertar, a ineficiência, a incompetência e malandragem do novo sistema Gramsci- Keynesiano. E, ainda, sem falar da onipresente e bombástica mídia socialista (fenômeno mundial) fazendo lavagem cerebral nas mentes dos incultos e incautos, através de filmes, novelas, programas e, principalmente, com propagandas enganosas estatais financiadas involuntariamente (sem querer querendo) pelos próprios pagadores de impostos. Enfim, dominar a inerme massa com todo este aparato é bem mais fácil que empurrar bêbado em escadaria de igreja.

A história se repete! Desde quando o Brasil teve ou foi digno de um dia de liberdade se quer? Um país que foi colônia de Portugal; sofreu o jugo dos coronéis, passou por uma ditadura militar (a melhor época), e agora, infelizmente, se vê ás portas de uma terrível ditadura do “proletariado”.  Pois esta é a nova forma de governo ditatorial, camuflada atrás de uma aparente democracia, para um povo que nunca teve liberdade e nem mesmo sabe o que é isto. Um povo que, enquanto índio, trocou a sua propriedade por um espelhinho dos portugueses, e que agora, em geral, continua trocando. Liberdade pra quê? Quem nunca teve se acostuma! Um povo que sempre foi refém acaba se apaixonando por seus algozes. Síndrome de Estocolmo? Talvez! Mentalidade Bolchevista? Não! Não!Apenas mentalidade imediatista e síndrome do oportunismo.

Se tivesse vivo e viesse ao Brasil, Mises diria com certeza: “O Brasil é muito mais ricamente dotada de solos férteis e de recursos minerais de todos os tipos do que os Estados Unidos. Se o povo Brasileiro tivesse buscado aplicar a mesma política capitalista dos americanos, seria hoje o povo mais rico do mundo”. Anon, SSXXI

O estado é um produto supérfluo, caro, obrigatório, com defeito e que, além do mais, não aceita devolução. Anon, SSXXI

    
    

Um comentário:

VISITE A BIBLIOTECA DO SUBVERSIVO DO SÉCULO XXI