Seja bem vindo, amigo!

Seja bem-vindo, amigo! Seja você também mais um subversivo! Não se entregue e nem se integre às mentiras do governo e nem da mídia! Seja livre, siga o seu instinto de liberdade! Laissez faire! Amém!

Translate

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Para ti Haiti, um pouco do nosso Cariri

Por Anon
Para te Haiti, um pouco do nosso Cariri
Será que a nossa miséria é tão feia que o governo em vez de resolvê-la, tenta escondê-la atrás das misérias alheias? Para o Cariri com mais de 206 mil famélicos, nada! Mas para fazer bonito para a ONU e para a internacional socialista, investindo em Cuba e Haiti e outros conflitos internacionais, tudo?! Quem é que deixa a pia da cozinha e a própria casa suja e vai limpar a casa dos outros? Para, pelo menos, resolver o lastimável quadro de miséria e fome dos mais de dez milhões de brasileiros, isto somente no nordeste, existe uma medonha máquina burocrática que faz vista grossa e dificulta qualquer soluçãozinha de meia-boca. Mas para tirar fotos e aparecer bem na fita, o governo gasta o pouco que tem, e o que não tem - ele falsifica criando novas moedas. Inflação a vista pessoal! 

Quanto custa aos contribuintes brasileiros para que o estado possa manter esta tropa de milhares de boinas azuis no Haiti? Qual é o retorno deste investimento político? Quantos destes investimentos ficaram ou ficarão nas ilhas Caymam e outros paraísos fiscais? Depois do que já aconteceu, não dá mais para confiar. Não é mesmo? 

Se o Brasil quer ajudar politicamente o mundo, se ele quer aparecer no cenário mundial puxando o grande saco da ONU, então, primeiramente, ele teria a obrigação de se tornar uma potência mundial. Ele teria que erradicar por completo a pobreza das regiões mais pobres, principalmente a grande miséria existente nos estados do norte e nordeste. Estados como: Maranhão, Piauí e Alagoas, terra dos mais influentes e poderosos políticos do país, ao contrário do que muitos brasileiros pensam, eleger políticos, colocá-los em Brasília não significa melhorias para os seus estados ou regiões. Certamente, se os nordestinos não tivessem os políticos que eles têm, eles estariam em melhores condições, não estariam sob o jugo deste novo tipo de coronelismo herdeiro do velho modelo do coronelismo feudal, não estariam vivendo de migalhas à custa dos votos de cabrestos, nem de cestas básicas ou bolsas de pobreza (esmola política). E nem receberiam os lastimáveis e ridículos salários de R$ 70,00 por mês, isto quando recebem. 

E quem disse que o sul e sudeste estão livres da miséria? O aumento das favelas está aí para provar. Não adianta maquiar e mudar o nome para “comunidade” Não adianta chamar a maioria de seus habitantes de afro-descendente e as mídias corporativas dizerem que eles estão com a bola toda. Quando vejo as propagandas do governo na TV, imediatamente me vem à mente a cômica figura daquele ministro da informação do Iraque Mohammed Saeed al-Sahhaf, que mesmo debaixo dos fogos do inimigo norte-americano, visíveis até no fundo da tela, ele anunciava a iminente “vitória” Iraquiana. Só faltou a estátua de Saddam Hussein cair em cima de sua cabeça. Assim como a grande estátua da mentira nacional esta sempre caindo na cabeça do brasileiro, e ele finge que não vê. 

Quem não fica indignado ao ver aquelas mocinhas afrodescendentes, tão bonitas e com ar de sábias e arrogantes dizendo: “Agora é lei”. Está certo que elas estão ganhando para fazerem estas propagandas pró-governo. Mas se todos os negros do Brasil soubessem o tanto que eles estão sendo usados ideologicamente por este governo. Se eles soubessem que cada lei que estes deputados estão fazendo, somente servem para cercear pouco a pouco a liberdade de todos os brasileiros. Puxa! Até a ingenuidade tem que ter limite! Por favor, meus caros brasileiros! Aprendam o verdadeiro valor do conhecimento! Querem uma digna dica? Darei duas! Leiam qualquer coisa de Walter Edward Williams ou Thomas Sowell! Assim, vocês descobrirão que o conhecimento não tem cor, nem raça nem sexo e, muito menos, classe social. Descobrirão que o sonho do socialismo não passa de um frágil castelo na areia, e que em breve será destruído pelas ondas da realidade. Porém, a realidade não é assim tão cruel, devemos apenas aprender como conviver com ela. 

O que nós temos haver com os problemas do Haiti? O Haiti é um país que tem muito mais história para contar que o Brasil. Antiga colônia espanhola, o Haiti foi cedido para França. Fazendo parte de uma região promissora e grande produtora de açúcar, cacau e café. Em 1794 foi o primeiro pais do mundo a libertar seus escravos e o segundo a conquistar a sua independência em 1803, e acredite! contra a França uma das grandes potências daquela época. 

Brasileiro, quando Você receber o seu salário mínimo, dê todo ele para uma instituição de caridade, e deixe a sua família passar fome. Analogia funesta? Mas é isso que o governo está fazendo no Haiti e em outros lugares com o dinheiro do imposto pago por nós. Se no Haiti há problemas, no nosso Cariri há muito mais! Pobre de ti Haiti! Pobre de ti Cariri! Portanto, deixe o Haiti para as potências e suas MINUSTAH resolverem. 

Então, Brasil! Crie vergonha e venha solucionar os seus próprios problemas: fome e miséria. Não é preciso fazer muito, basta não fazer nada! Venha colocar uma boina azul sobre a cabeça da asa branca e do seu pobre sertão do Cariri! Faça de conta que esta ajudando o seu povo! Se quiser realmente ajudar, para de explorar o seu povo com exorbitantes impostos, elimine todo tipo de burocracia, deixe de querer bancar o papai “preocupado” dos brasileiros. Siga o conselho de Henry David Thoreau: "O melhor governo é o que menos governa". O povo brasileiro é muito criativo, quer ajudá-lo, governo? Deixe-o livre para criar! 

Foto: Asa Branca de boina Azul

Nenhum comentário:

Postar um comentário

VISITE A BIBLIOTECA DO SUBVERSIVO DO SÉCULO XXI