Seja bem vindo, amigo!

Seja bem-vindo, amigo! Seja você também mais um subversivo! Não se entregue e nem se integre às mentiras do governo e nem da mídia! Seja livre, siga o seu instinto de liberdade! Laissez faire! Amém!

Translate

terça-feira, 25 de setembro de 2012

SERVA – Síndrome de Escravidão Romântica Voluntariamente Adquirida



Por Anon, 


Neste mundo social Fabiano cercado de organizações com suas SIGLAS humanitárias e benevolentes, em que a maioria delas foi criada para salvar a todos infelizes de seus destinos cruéis; decidi acrescentar, por conta própria, mais uma para o rol coletivista, ou seja, SERVA – Síndrome de Escravidão Romântica Voluntariamente Adquirida. Apesar de esta sigla parecer um oximoro ideológico em que a escravidão romântica é apenas um pretenso jogo de interesse e o voluntário é algo pago ou um prêmio pré-estabelecido, da corte corrupta para a plebe sevandija. Para não dar uma conotação meramente mesquinha para tudo e para todos, e tentando ser romântico só para entrar no clima, às vezes, temos que ser fingidos para poder entrar no jogo do sofisma. Para melhor ilustrar estes frutos do iluminismo, é necessário o uso de analogia com alguns exemplos famosos ou conhecidos em que se poderia utilizar a SERVA sem maiores complicações.

Então, nada melhor que o conde Drácula, uma figura muito famosa, símbolo do poder absoluto e o seu servo capacho, figura desprezível até mandar parar. Não se sabe qual é o pior! se é o que manda ou aquele que obedece! se é o poder maligno ou seu coadjuvante vassalo deformado. Embora os dois se completem, são: a tampa e o balaio, Romeu e Julieta, o queijo e a goiabada, a puta e o gigolô, o ditador e o povo submisso, o senhor e o seu escravo, etc. 


O Sórdido Conde Drácula sai de seu castelo durante a noite, aterrissa e terroriza o pacato vilarejo. Um flagelo que só vendo! Esperto como ele só! Vampiriza as donzelas mais bonitas, mata as mais feias de susto e, como bom economista, seqüestra a princesa mais linda para comê-la depois. E quem ajuda o vampiro a transportar a bela e sensual garota em sua carruagem mórbida através de lúgubres desfiladeiros e quase caindo fatalmente em imensuráveis e sombrios precipícios? Só poderia ser ele, o mordomo satânico, o quasímodo serviçal comedor de larvas e insetos, o capanga do Morcego do mal. E olha que ele não toca um dedo na moça refém! Pois, este é um típico caso de SERVA. Este servente cegamente subserviente sabe e conhece o grande potencial maléfico que o seu amo sanguessuga representa para a humanidade; e mesmo assim, e mesmo sendo humano, ele ressuscitará e salvará quantas vezes for necessária a vida do monstro alado de hábitos noturnos. 


Porém, o mais estarrecedor que o filme citado acima, é quando você desliga a TV ou sai do cinema e descobre que a nossa vida aqui fora esta ficando bem mais assombrosa que as histórias fictícias de vampirismo em si. Pois, o estado vampiro é bem real e seus asseclas não são apena um, mais vários, milhares, milhões; e de uma forma ou de outra, todos eles são portadores da SERVA. Eles estão determinados e prontos a manter o Estado usurpador e até mesmo ressuscitá-lo se caso ele vier a sofrer um expurgo popular. Afinal de contas, se o Estado atual mete seu dedo sujo em qualquer questão, ato esse, que anteriormente poderia ser facilmente ridicularizado, contestado e difamado por qualquer botequeiro de qualquer boteco de copo sujo. Mas, hoje, infelizmente, muitos se tornaram capachos do El Estado! E mesmo o sistema comunista ter falido em todos os cantos do mundo, há sempre os românticos, saudosistas, puxadores de saco, oportunistas de carteirinhas e interesseiros sórdidos tentando reanimá-lo com argumentos furados e que, basicamente, contam com a ignorância filosófica da grande massa popular.


Filosofia socialista furada autora da maior matança de gente já registrada da nossa história, sistema político-filosófico que, mesmo antes de entrar em pratica, foi severamente contestado e facilmente refutado. Sistema que hipnotizou, escravizou, flagelou e dizimou milhões de almas da face do planeta e que teve entre um dos seus criadores Karl Marx um arrogante burguês que sempre viveu como capitalista e por seu patrocinador Engels. Todos conhecem a historia de Marx, porém, notoriamente, encontra-se um tanto de gente metida à intelectual usando de todo tipo de mentira para defendê-lo. É lógico que estes caras só querem o poder. Está na cara que eles só querem escravizar os seres inferiores (para eles todos são seres inferiores). Estes psicopatas, não sabem trabalhar, ou empreender, eles precisam do trabalho alheio para que possam viver à custa do mesmo. São vampiros profissionais e necessitam de pessoas com SERVA para se perpetuarem no poder.


Escrevi este artigo inspirado num livro romântico que infelizmente li, pois não se deve criticar sem conhecer. O livro Love and Capital é mais um exemplo de mordomo nefasto tentando ressuscitar romanticamente o Drácula Secular. Apesar de que, em se tratando de vampirismo, e em relação ao número de vítimas, o conde não passa de um pernilongo assustado diante do grande usurpador Marx. Talvez a autora esteja com SERVA, coitada! ou, simplesmente, esta contando com a SERVA do resto da humanidade para poder emplacar mais um best seller financiado pelos Fabianos. Esperta essa escritora, hein?! Será? Sem realmente conhecê-la, pessoalmente, não vou exacerbar em minhas críticas e prefiro retratá-la como sendo mais uma tola romântica!


Enquanto isso, os séquitos deslumbrados continuam seguindo os novos e velhos crápulas estrelando nos seus papeis de heróis românticos do século XXI. A TV da ênfase para os estupradores, esquartejadores, enfocando-os como se eles fossem pobres heróis, ou, cada um deles, como sendo mais uma vítima da sociedade; até parece que a mocinha inglesa esquartejada era a vilã da história (filme de terror real). Se isto não for apologia ao crime, o que será? Anon, SSXXI


 Entre neste site e saiba mais um pouco: Entrevista com Mary Gabriel (Interview by Megan Gilbert) Love and Capital: Karl and Jenny Marx and the Birth of a Revolution


O subversivo criticando Mary

Nenhum comentário:

Postar um comentário

VISITE A BIBLIOTECA DO SUBVERSIVO DO SÉCULO XXI