Seja bem vindo, amigo!

Seja bem-vindo, amigo! Seja você também mais um subversivo! Não se entregue e nem se integre às mentiras do governo e nem da mídia! Seja livre, siga o seu instinto de liberdade! Laissez faire! Amém!

Translate

domingo, 2 de fevereiro de 2014

ROLEZINHOS’ DENUNCIAM A SOCIEDADE DESUMANA, INJUSTA E SEGREGADA IMPOSTA PELOS PARTIDOS DA ESQUERDA.

Por Anon,

Faz quanto tempo mesmo que a esquerda ou: o socialismo, o comunismo o marxismo, o stalinismo, o gramscismo, ou qualquer nome que queira dar, assumiu o poder nesta imensa nação ex-varonil dos antiquíssimos milicos? Bem, em primeiro de janeiro de 1995, a esquerda assumiu a presidência da república, eleita por voto democrático. Mas, desde 1992, Itamar Franco já havia aproximado da esquerda e passado a bola do poder para a mesma, mesmo dentro do seu próprio governo e, exaustivamente, continuamente, esta mesma bola esquerdista foi repassada duas vezes para o Barba, 2003 – 2011 (entrou pelado e saiu rico, entrou sem-terra e saiu fazendeiro) e, consequentemente, atualmente, para a ex terrorista, que está enriquecendo Cuba, Angola e outras Odebrechtes da vida esquerdista.

Mas o que tem haver este breve histórico político, descrito por mim, da nossa tão amada nação com este recente fenômeno dos “rolezinhos” que ocupou os shoppings no Rio e em São Paulo e que fomentou as mais disparatadas interpretações do frade rancoroso, ex-teólogo da libertação que, pressionado pela Igreja Católica por seus ideais socialistas que não condiziam com a fé cristã, acabou abandonando a batina e assumindo o seu verdadeiro lado comunista ou, deixando de ser a ovelha de Cristo, para ser o bode de Marx. E que, além disso, usou a Igreja para doutorar-se em filosofia e teologia e, depois usou todo o seu conhecimento para perverter e arruinar a própria igreja, desde dentro, através do marxismo cultural?   

Voltando as duas pergunta anteriores: O tempo que a esquerda já está no poder ou causa primeira e a miséria dos pobres jovens da periferia, causa consequente advinda da primeira, resultam na revolta dos pobres jovens na forma de “Rolezinho”, corolário ou consequência. Bem, quem disse isso e  colocou a corda no próprio pescoço foi o próprio Frei! Mesmo sem querer, ele reconhece que a esquerda vem promovendo a miséria no país há mais de vinte anos. Ele disse em seu artigo: “Em primeiro lugar, são jovens pobres, das grandes periferias, sem espaços de lazer e de cultura, penalizados por serviços públicos ausentes ou muito ruins, como saúde, escola, infraestrutura sanitária, transporte, lazer e segurança.” - Como pode um Doutor de filosofia dar uma rata desse tamanho e dessa forma e, lamentavelmente, ainda por cima, ir contra os seus “queridos” companheiros camaradas, que em dez anos de governo gastaram mais de dezesseis bilhões de reais em propaganda para enganar a população brasileira com suas falácias político-econômicas?! E esse ex-capuchinho vem estragar tudo, desmentindo inconsequentemente, apena num lamentável e prescindível artigo?! Ah! Isto, no mínimo, deveria ser motivo para um merecido justiçamento! Não antes de levar uma violenta irrupção bem naquele lugar!

Logo abaixo, no mesmo artigo incoerente, digno dos socialistas, ele tenta se retratar e salvar a pátria vermelha, jogando na parada índices do Ipea, facilmente manipuláveis, principalmente para aqueles que, há tanto tempo, estão no poder. Se a esquerda conseguiu diminuir as diferenças sociais, não foi enriquecendo as classe mais pobres, mas sim empobrecendo as classes sociais mais ricas com seus impostos excessivos e entraves burocráticos. Muitos empresários e investidores que geravam empregos e empreendimentos no país já estão indo embora. A maioria dos miseráveis que estava nas favelas continua morando nas favelas e, desses, muitos se tornaram sem-tetos.

Poder-se-ia culpar toda essa ‘chaga’, essa desigualdade social atual à injustiça histórica, pois a culpa cairia imediatamente neste estado totalitário que está no poder há décadas e não cumpriu com o seu slogan da tão esperada e sonhada justiça social. A única igualdade social só foi possível para os donos e os pertencentes da cúpula do partido. Isso já aconteceu na URSS de Lênin e Stalin, na China de Mao, Cuba de Fidel e Hermano, Venezuela de Chaves e Maduro e, agora, no Brasil. O povão só ficou chupando os dedos! O castigo para aqueles que querem fazer um paraíso na terra é a criação de um mundo mais próximo do inferno.


Em seu artigo, com o nobre intuito de justificar os rolezinhos, o nosso frei utiliza os mesmos métodos conversa-mole-em-portunhol, impregnados de coitadismo, de vitimismo, sentimentalismo rasteiro, de injustiça histórica social e em tudo que a sua velha memória trotskista foi capaz de lembrar. Afinal, se ele conseguir o seu intento, será a primeira vez que uma revolução comunista ocorrerá em um “maldito” shopping capitalista. E, consequentemente, o país terá o primeiro Frei Secretário-Geral do Partido Comunista do shopping-Sovietes do planeta. Assim, os jovens revolucionários romperão todas as barreiras do apartheid comercial e nunca mais poderão comprar os seus tênis de marca! Assim como ele julgou e condenou, descrevendo: Nossa sociedade é conservadora e nossas elites, altamente insensíveis à paixão de seus semelhantes, por isso, cínicas. E ainda, ataca sua amada esquerda com mais um tiro no pé, rabiscando nessas mal traçadas linhas: Eles estão, com seu comportamento, social. É uma denúncia de um país altamente injusto (eticamente), dos mais desiguais do mundo (socialmente), organizado sobre um grave pecado social, pois contradiz o projeto de Deus (teologicamente).- Bem, mais uma vez, ele terá de prestar contas aos partidos de esquerda: uma por chamá-los de conservadores e de elite, e outra, por chamá-los de cínicos. Que confusão, hein?! Comunista chamando comunista de conservador! Como se conservador fosse comunista. Será que ele é da ala mais radical (vermelho-caixão) por não estar mamando o mesmo tanto que os outros? Marxista falando teologicamente de pecado social em nome de Deus?! E os 330 milhões de aborto que foram feitos em quatro décadas na China comunista? Isso sim! É barbárie! Marx não era ateu, ele era satanista! Seu deus era Lúcifer e, sem mais delongas, seu objetivo era usar o socialismo como um meio para alcançar o fim, ou seja, o grande holocausto, o total sacrifício da raça humana. Portanto, não vejo um hábito neste frei, vejo apena uma pele de cordeiro por cima de um lobo! O melhor exemplo de falso profeta que o satanás poderia parir na face da terra.

No final de seu artigo, espero que seja um fake, por tamanha desfaçatez digna de criminoso. Pois, num país sério, poderia ser interpretado como apologia ao crime, ou como incentivo a um motim sangrento: jogando classe contra classe, discurso fascista, racista, hedonista. Ele descreve, sinta o drama! - Por fim, os “rolezinhos” não querem apenas consumir. Eles têm fome, sim, mas fome de reconhecimento, de acolhida na sociedade, de lazer, de cultura e de mostrar o que sabem: cantar, dançar, criar poemas críticos, celebrar a convivência humana. E querem trabalhar para ganhar a vida. Tudo isso lhes é negado porque, por serem pobres, negros, mestiços, sem olhos azuis e cabelos loiros, são desprezados e mantidos longe, na margem.

Essa espécie de sociedade pode ser chamada ainda de humana e civilizada? Ou é uma forma travestida de barbárie? Esta última lhe convém mais. Os “rolezinhos” mexeram numa pedra que começou a rolar. Só vai parar se houver mudanças.

Mas já que tudo que ele escreveu, felizmente, retrata o governo dos partidos de esquerda (se alguém mal informado não sabe que, no Brasil, só há partidos de esquerda fazendo shit, twenty years). Esses caras estão brincando com um país inteiro. Esses esquerdistas acham que são nossos donos e donos da nação. Invadem nossas vidas, intervêm na economia, falsificação de moeda que causa a inflação. Interferem, que nem baratas tontas, na economia de mercado causando bolha econômica, sempre na expectativa se vai estourar ou não, corrupção como nunca aconteceu em qualquer época ou lugar, a espoliação mais exacerbada do planeta através dos impostos, os piores e mais caros serviços públicos, carregados de burocracia, um estado policialesco latente, desrespeito à vida e à propriedade privada. Sinceramente, O Estado perdeu a noção de limite e os brasileiros perderam a noção de liberdade, que são meros escravos!

E falando de Mudanças, concordo plenamente com o monge, recrutador do lado de lá. O Brasil precisa mudar, precisa eliminar essa esquerda retrógada, precisa trilhar o caminho da justiça sob a luz da verdade. Nós, os brasileiros, precisamos de uma nova constituição que prima pelo direto: à vida, à liberdade e à propriedade privada. Seria ótimo se não tivéssemos nenhum tipo de Estado, isso é sonhar de mais? Mas se tivermos que seja um Estado mínimo possível; um Estado que deixe as pessoas viverem em paz, já seria quase suficiente!


Particularmente, eu sou a favor dos rolezinhos, mas pena que os nossos jovens mal informados, ou bem doutrinados, estejam fazendo o rolezinhos em lugares errados e com as pessoas erradas, assim como, em: grandes lojas, supermercados e, principalmente nos shoppings centers; pois nesses lugares estão os empresários, que trazem riquezas e divisas para o nosso país, lá, estão pessoas de bem trabalhando honestamente para servir-nos serviços e produtos de qualidade. Felizmente, ainda há alguns “bunkers” de consumo (nome que o falso monge dá aos shoppings centers) que estão empregando trabalhadores, de todas as classes, para serem incluídos no contrato social. Estes trabalhadores serão incluídos trabalhando, para comerem o pão do suor do seu próprio rosto (deles) e não por intermédio de discursos pervertidos, invejosos, rancorosos, geradores de ódio, causadores da verdadeira segregação, do aniquilamento do caráter, simplesmente para objetivar o caos.  Anon, SSXXI

Onde fazer os rolezinhos subversivos?

Bem, lendo este artigo, os jovens (inteligentes, que são) saberão muito bem em que lugares deveriam rolar os novos rolezinhos!


Corrijo e termino depois. Tá pessoal?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

VISITE A BIBLIOTECA DO SUBVERSIVO DO SÉCULO XXI