Seja bem vindo, amigo!

Seja bem-vindo, amigo! Seja você também mais um subversivo! Não se entregue e nem se integre às mentiras do governo e nem da mídia! Seja livre, siga o seu instinto de liberdade! Laissez faire! Amém!

Translate

sexta-feira, 15 de junho de 2018

A história tem provas irrefutáveis que política, voto e eleição são mecanismos sociais de opressão.

"Se não votarmos, os maus irão vencer! E aí as coisas vão piorar ainda mais!"

Esse é o argumento que eu mais escuto.  E a ele sempre respondo: "As coisas já estão ruins, estão só piorando, e nenhuma das várias eleições anteriores trouxe mudanças para melhor."

Como réplica a isso, sempre escuto as tradicionais "sim, mas...".

A verdade factual é que regimes repressivos sempre se legitimam e esmagam o povo por meio da política.  Havia inúmeros políticos e infindáveis eleições nas repúblicas soviéticas.  Aliás, a Constituição da URSS tinha alguns itens bem atraentes.  Por exemplo:

Artigo 47: os direitos de autores, inventores e inovadores são protegidos pelo estado.

Artigo 55: os cidadãos da URSS têm garantida a inviolabilidade de suas casas.  Ninguém pode, sem bases legais, entrar em uma casa contra o consentimento daqueles que nela residem.

Artigo 56: a privacidade dos cidadãos, de suas correspondências, de suas conversas telefônicas e de suas comunicações telegráficas é protegida por lei.  (Só que não.)

Artigo 57: o respeito pelos direitos individuais e a proteção dos direitos e liberdades dos cidadãos são o dever de todos os órgãos do estado, de todas as organizações públicas e de todos os funcionários do estado.

Obviamente, políticos e documentos escritos por políticos não ajudaram muito o povo da URSS.

No entanto, a história também já mostrou que regimes repressivos não são capazes de esmagar todas as pessoas que se recusarem a cumprir suas ordens.  Se essas pessoas se recusarem a obedecer, o regime irá se esfacelar, e bem rapidamente.

Portanto, na vida real, um regime repressivo não é restringido pelos políticos que estão em seu comando (isso, aliás, seria paradoxal); ele é restringido pela desobediência civil.[(...)]

[(...)]    A política é pré-histórica

Dediquei boa parte da minha vida estudando nosso passado, e aprendi que o sistema de homens governando homens data do ano 6.400 a.C.  Já o tipo de governança que mais se assemelha à nossa começou por volta de 5.000 a.C.  Assembléias bicamerais (como Senado e Câmara dos Deputados) já existiam em 2.500 a.C.

Ou seja, são coisas que já existiam naquele período de tempo que convencionalmente rotulamos de "pré-história".

Logo, eis a minha pergunta: por acaso há algo mais que já existia antes das pirâmides do Egito e que ainda governa nossas vidas hoje?

O homem não mais tem de lavrar a terra manualmente.  Ele não mais tem de utilizar rochas para fazer fogo.  Ele não mais tem de andar de carroças.  Ele não mais depende da tração animal.  Já aprendemos a escrever, a inventar, a navegar, a percorrer em poucas horas enormes distâncias no globo, a dirigir, a voar, a chegar à lua etc.

E, ainda assim, essa relíquia do nosso passado mais primitivo ainda permanece.  Se há uma área da vida em que os humanos fracassaram e em nada evoluíram, essa área é a política.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Boa parte dos conhecimentos surgiu dos questionamentos.