Seja bem vindo, amigo!

Seja bem-vindo, amigo! Seja você também mais um subversivo! Não se entregue e nem se integre às mentiras do governo e nem da mídia! Seja livre, siga o seu instinto de liberdade! Laissez faire! Amém!

Translate

domingo, 14 de junho de 2015

A direita do rock


Por Marcus Vinicius Motta

O colunista Ancelmo Gois resolveu fazer uma piada com o Lobão usando a já batida - e cretina - historinha da esquerda que "roqueiro não pode ser de direita".

Levando-se em consideração que tal afirmativa, baseada em, como eles adoram dizer, "senso comum", nos leva a concluir que banqueiros, empreiteiros e demais gatos gordos jamais poderiam ser petistas (no entanto são e lucram bastante com isso), já podemos detectar que a fórmula é furada, ou seja, a ocupação não determina a visão política de ninguém. Caso contrário o PCC poderia virar mesmo um partido ou quem sabe até se fundir com algum existente.

Mas adiante.

Rock é contestação, é um grito de liberdade, de inconformismo, de novidade, só por isso todo roqueiro já deveria ser anti-petista no Brasil, pois seriam contra um bando encastelado há 12 anos no poder, rumando para 16 caso Dilma não seja abatida pelo petrolão, e com planos de permanecer 50. Fora isso defendem modelos como o chavista ou o cubano que são repressores e liberticidas.

Veja Cuba e responda: existe coisa mais anti-rock'n'roll do que ex-guerrilheiros decrépitos de farda verde oliva, comendo cascatas de camarão enquanto seu povo oprimido passa fome?

Mas todos estes são apenas conceitos, rock é música, simplesmente música e a despeito de ser um dos melhores estilos de música que existem, os roqueiros votam em quem quiserem.

Gente de direita não é necessariamente chata, que anda de terno e gravata debaixo de sol, só escuta marcha militar e brinca de inglês tomando chá das cinco. Gente de direita viaja, trepa, toma porres, curte rock, é tatuada (minhas 9, dependendo da conta, provam isso), enfim, é de todo jeito.

Os defensores de genocidas e ditadores é que vendem constantemente essa imagem "rebelde", "libertária", "jovial" da esquerda. Mas reflita: "Controles" sobre liberdades são rebeldia? Estado forte é libertário? Lula, Dilma, Maduro, Marilena Chauí, Emir Sader, entre outros, são joviais?

Mas até mesmo no seu argumento tosco a esquerda toma na cabeça, porque se existe coisa comum fora do Brasil é roqueiro conservador e de direita. No Brasil, da hegemonia dos palermas e da malandragem dos incentivos fiscais, é que é raro ver isso, daí o espanto da turma com o Lobão ou o Roger do Ultraje a Rigor, só pra citar dois exemplos mais conhecidos.

Mas "lá fora", para deixar provado que o "só aqui" é coisa de burro que não se informa ou mal intencionado que empulha, há uma lista ampla de roqueiros de direita.

Elvis Presley, Johnny Ramone, 50 Cent, Geri Halliwell, Phill Collins, Kid Rock, Tony Hadley do Spandau Ballet, Alice Cooper, James Hetfield, Prince, Jeff Baxter dos DoobieBrothers, todo o Avengend Sevenfold, Gene Simmons, Meat Loaf, Dave Mustaine, Neil Pert (leitor de Ayn Rand), Michale Graves dos Misfits, Billy Gibbons do ZZ Top, isso só para falar em músicos, porque se a lista incluir atores, escritores e demais artistas não paro de escrever hoje.

Todos, em maior ou menor grau, republicanos e conservadores, que de alguma forma já expressaram opiniões "de direita", votaram e contribuíram para campanhas de candidatos de partidos de direita e que provam categoricamente que gente como a Socialista Morena (outra que adora repetir essa patacoada) e o Ancelmo Gois estão falando bobagem.

Rock the world, kids, but rock it right.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

VISITE A BIBLIOTECA DO SUBVERSIVO DO SÉCULO XXI